Search
Saturday 22 July 2017
  • :
  • :

Review do Moto G4

Moto G4 – Data de lançamento e preço

O Moto G4 é o modelo principal da nova geração da série. A versão que testei possui 16GB de armazenamento interno e custa a partir de R$1.299,00. Vale lembrar que todos os dispositivos da linha – Moto G4, Moto G4 Plus e Moto G4 Play – podem ser comprados e personalizados a partir do Moto Maker.

Neste ano, você poderá fazer o upgrade do dispositivo para a variante Plus, que oferece melhor câmera e sensor biométrico. O Moto G4 Plus chegou custando R$ 1.499,00. Ao final deste review, você encontra uma lista das lojas nas quais você pode comprar o aparelho.

Moto G4 – Desenho & Qualidade de Construção

Se compararmos o primeiro modelo do Moto G com o quarto, veremos mudanças bem significativas no design da linha. Começando pelo tamanho do aparelho, que nestes três anos saiu das 4,5 polegadas para as 5,5 polegadas. No ano passado, a Motorola resolveu unificar o visual da linha Moto, desde o modelo mais básico ao modelo mais potente. Assim, uma placa de metal contornava a lente da câmera e trazia o logo da marca em todos os modelos do Moto G e Moto X.

Apesar de ganhar tamanho e uma bateria maior, o Moto G ficou mais fino ao longo dos anos. Se em 2013 o aparelho tinha 11,6mm, agora são 9,8mm. Este é o modelo mais fino da série. Contudo, existe um alto preço a ser pago por esta escolha: o Moto G4 perdeu a ergonomia. A traseira curva do seu antecessor oferecia uma excelente pegada, o aparelho encaixava perfeitamente nas mãos do usuário, mas, agora, a traseira é plana, e as bordas são arredondadas.

androidpit-lenovo-moto-g4-grip-w782

A capa traseira é removível, de plástico e possui uma microtextura, ou seja, não é lisa. Essa característica realmente passa uma sensação de segurança. Meu smartphone é de vidro, logo, sinto muita diferença ao segurar o Moto G4 nas mãos, pois não sinto aquela incômoda sensação de que o dispositivo pode deslizar das mãos e cair em nenhum momento.

androidpit-moto-g4-android-usb-w782

A traseira plana também acabou deixando notável a protuberância da câmera. Esta apesar de leve, é perceptível, e ao depositar o dispositivo sobre a mesa temos a impressão de que a lente vai quebrar. A moldura lateral é de plástico e no lado direito temos os botões de ligar o aparelho e para aumentar e diminuir o volume. No botão para ligar o aparelho temos uma textura também que torna realmente fácil distiguir entre este e o botão de volume.

Desde o primeiro Moto G, o porta USB fica na parte inferior e a entrada para os fones de ouvido na parte superior. Contudo, a parte da frente já não é mais a mesma das duas últimas versões, e torna o Moto G4 mais parecido com o primeiro Moto G. Já não temos os dois tão criticados alto-falantes na parte frontal. Na parte inferior da tela, temos o microfone para ligações (o segundo microfone está na parte traseira e é usado para o cancelamento de ruído em vídeos).

Já na parte superior da tela, temos o speaker para ligações, que também funciona como alto-falante, a câmera frontal e o sensor de aproximação. Um ponto curioso é que, apesar de ser maior que o antecessor e ter uma bateria com mais capacidade, o Moto G4 pesa os mesmos 155 gramas que o modelo da terceira geração.

 

Um dos motivos para isso é referente ao fato da retirada da certificação de resistência à água que estava presente na geração anterior. Aliás, em vez do IP67, o novo Moto G vem equipado com uma nanotecnologia que o torna apenas resistente a respingos.

Apesar de não achar essa a versão mais bonita do Moto G – ainda fico com o modelo de 2015 neste quesito – o Moto G4 possui um design sóbrio e personalizável através do Moto Maker, ou seja, você poderá trocar as capas traseiras se possuir mais de uma e alguns dos detalhes do aparelho, como o contorno ao redor do sensor da câmera.

 

Moto G4 – Tela

O Moto G4 possui 5,5 polegadas de tela, que usar a tecnologia IPS LCD e proteção Gorilla Glass 3. O aproveitamento da parte frontal para o display é de 71,2%, logo, o aparelho poderia ser ainda menor, mas com certeza a Lenovo apostou em menor espessura em vez de bordas mais finas.

O Moto G4 é o primeiro smartphone da série de intermediários a ter uma tela com resolução Full HD. Isso oferece ao novo smartphone um densidade de 401 ppi (para efeito de comparação, o seu antecessor tinha densidade de 294 ppi, em uma tela de 5 polegadas).

Vale dizer que essa é uma mudança esperada desde a segunda geração da linha. No quesito tela, posso até dizer que senti o toque da Lenovo, visto que outros modelos da fabricante na mesma faixa de preço já contam com essa resolução, como o Vibe K5 e o Vibe A7010.

androidpit-lenovo-moto-g4-viewing-angle-w782

Este é um claro sinal de que a fabricante está investindo em funções relacionadas ao entretenimento. Especialmente para assistir a vídeos no YouTube ou no Netflix em alta-definição, ou para jogar usando o aparelho, a tela oferece uma ótima experiência. Contudo, o brilho do display deixa um pouco a desejar, especialmente se comparado com a qualidade do display LCD Full HD da Sony.

As letras e os elementos gerais do sistema estão extremamente nítidos e apresentam uma ótima reprodução de cor. Os ângulos de visão são excelentes, tudo dentro dentro do padrão de um bom painel LCD.

Moto G4 – Características Especiais

Gestão Dual-SIM inteligente

A função dual-SIM do Moto G4, assim como nos Moto X Play e Moto X Style, possui um modo inteligente, que habilita o uso de dados móveis 3G ou 4G apenas para um cartão. O chip-SIM secundário automaticamente funcionará na frequência 2G, eliminando a necessidade de troca manual pelo usuário. Além dessa funcionalidade, o aplicativo que realiza o gerenciamento dos chips-SIM é capaz de sugerir qual é a melhor operadora para cada contato com base nos números de telefones registrados na agenda do dispositivo.

androidpit-moto-g4-android-dual-sim-sd-slot-w782

Além disso, o usuário pode personalizar o nome da operadora e definir uma cor para facilitar a identificação da mesma entre as opções de ligações.

Moto G4 – Software

Existem dois grandes motivos para que a Motorola chegasse ao marco de 16 milhões de unidades vendidas da linha Moto G em dois anos. Um deles foi o preço acessível em uma época em que mid-ranges eram caros, e o outro o software. A Motorola popularizou o Android puro no país, quando o resto dos seus concorrentes ainda mantinham seus smartphones estacionados no Gingerbread.

Olhando para as especificações de hardware desta geração do Moto G4, este é o melhor modelo original da série, e um dos melhores intermediário do mercado nacional sem dúvidas. Somado a isso, o smartphone de 2016 continua oferecendo aos usuários a experiência mais próxima que se pode chegar do Android que roda na linha Nexus do Google.

Assim, o Moto G4 sai de fábrica rodando com o Android 6.0.1 Marshmallow e um layout pouco modificado. Claro, a interface da linha não é 100% pura, visto que novos elementos são adicionados nela para torná-lo ainda mais usual. Entre as poucas modificações do fabricante, estão presentes um novo widget e um aplicativo de câmera reformulado.

Este widget, aliás, parece uma forma de resgate de detalhes da interface do usuário da antiga linha RAZR, a MotoBlur. Além dele, vale lembrar que, apesar da Motorola contar com um dos serviços mais precisos de assistente de voz, os celulares de gama média não trazem o recurso Moto Voz e, com a adição do modo não perturbe ao Marshmallow, tivemos um redução dos recursos do Assist. Assim, o aplicativo Moto traz apenas duas opções: Ações e Tela.

A função Ações oferece uma quantidade de gestos que podem ser usados como atalhos do telefone, tais como ativar e desativar a lanterna ao agitar o aparelho duas vezes, movimentar o punho para ativar a câmera, silenciar ligações ao pegar o aparelho e mover o Moto G4 para cima, e virar o dispositivo com a tela para baixo para silenciar notificações. Estes são serviços realmente inteligentes e que auxiliam no cotidiano. Usando tais recursos em conjunto com o “Now a um Toque” facilitou minha vida em inúmeras situações.

Já o recurso Tela é a versão inteligente e funcional do Always On, do Galaxy S7 e do LG G5. Em vez de você ter informações aparecendo na tela o tempo todo, apenas quando você movimenta o aparelho o software mostra em preto e branco a data, a hora, as suas notificações, qual música está tocando no Spotify e oferece ainda a opção de passar a música ou pausá-la.

Moto G4 – Performance

Precisamos de quatro gerações do Moto G para que a fabricante decidisse por dar um passo maior. Com um processador de oito núcleos Snapdragon 617, superior em desempenho ao do Moto X Play, a Lenovo tem a chance de reconquistar os usuários da primeira versão do aparelho que abriram mão da linha por causa da CPU. Ao contrário do erro do passado, quando a empresa ainda ofereceu um dispositivo com 1GB de memória RAM, neste ano temos apenas o modelo de 2GB de RAM.

Em relação à performance do software, posso dizer que é rápido, fluído e, depois de muito tempo testando smartphones nos últimos meses – como o Galaxy S7 e o Mi 5 – pela primeira vez não tive um erro sequer ao executar qualquer comando no Moto G4. Um ajuste que fiz e que melhorou a minha experiência foi acelerar as animações em escala, a escala de transição e a escala de duração da animação usando as opções de programador/desenvolvedor.

Lançar aplicativos, usar o multitarefas, carregar páginas, navegar na internet ou atualizar meus canais nas redes sociais ou jogar Asphalt 8, tudo teve uma boa resposta do sistema. No meus testes de benchmark, o Moto G4 se saiu melhor que o OnePlus X, por exemplo, e atingiu 45.697 pontos no AnTuTu.

moto-g4-benchmark-w782

A CPU do Moto G4 é a Snapdragon 617, com quatro núcleos Cortex-A53 de 1,5 GHz e quatro núcleos Cortex-A53 de 1,2 GHz. Logo, é mais veloz que qualquer outro modelo da linha. O processador gráfico é o Adreno 405, o mesmo dos Galaxy A7, Galaxy C5, Asus Zenfone Max, Redmi 3 Pro e Alcatel Idol 4.

O Moto G4 possui apenas uma versão de armazenamento interno, que é de 16GB (finalmente a fabricante deixou de lado a variante de 8GB). Além disso, o espaço que pode ser expandido até 128 GB com o auxilio de um cartão microSD. O sistema operacional ocupa 5,18 GB e sim, você pode usar o cartão SD como armazenamento interno e ter mais espaço no seu celular:

 

Moto G4 – Áudio

O alto-falante do Moto G4 está localizado no speaker para ligações. A fabricante que, em 2014, resolveu investir na qualidade de áudio stereo e adicionou duas colunas de alto-falante ao dispositivo. Apesar de uma boa qualidade de som, o design foi realmente comprometido.

A qualidade do alto-falante do Moto G4 não é ruim, está no mesmo nível dos Galaxy S7 e iPhone 6, mas com uma diferença positiva: ele não está posicionado na moldura do aparelho, o que oferece uma grande vantagem em jogos e ao assistir a uma série no Netflix.

 

Quando usado com os fones de ouvido, você terá uma qualidade de áudio melhor, mas o aparelho não oferece nenhum tipo de equalizador de som, por isso, uma boa pedida é baixar o app Música Volume EQ (ideal se você escutar música com fones de ouvido).

Nas ligações, a qualidade do áudio é muito boa, nítida e não transfere ruídos e barulhos que estejam acontecendo no ambiente da pessoa com a qual você está conversando, nem mesmo oferece um áudio metalizado.

Moto G4 – Câmera

No quesito câmera, apesar das alterações do software, o hardware é o mesmo do modelo anterior. Já a versão Plus do dispositivo possui um sensor melhor. Porém, tanto um quanto o outro compartilham o mesmo aplicativo de câmera, que é uma versão reformulada daquele que está presente nos modelos anteriores.

Assim, temos 13 MP no sensor da câmera principal, uma abertura de foco f/2.0, foco automático e um flash duplo de LED (dual tone). Já a câmera frontal vem com 5 MP, abertura de foco f/2.2 e HDR automático. O mais legal é o fato de termos o modo manual disponível neste mid-range. Ao optar por usá-lo, uma tela com os ajustes da câmera será exibida, permitindo customizar o ISO, o temporizador, o obturador, a macro e a exposição da lente.

lenovo-moto-g4-plus-software-camera-w782

Os efeitos visuais e de áudio também são os melhores. Se você gosta de fotografia, os engenheiros e designers da Lenovo conseguiram oferecer uma excelente experiência para o usuário, que não se limita apenas em escolher as opções, mas se divertir no meio do percurso.

A interface escolhida pela Motorola para esse modo manual se parece bastante com a da câmera dos Lumia, da Microsoft. A câmera traseira é boa, o fato de podermos escolher a exposição rapidamente a partir do botão do foco ajuda a melhorar a qualidade das imagens.

A experiência de uso

O módulo da camera faz imagens com boa fidelidade de cor e equilíbrio de luz. O tamanho máximo das imagens é de 4128 x 3096 pixels, e o sensor é fabricado pela Sony. O flash de LED dual-tone oferece um balanço entre a luz quente (incandescente) e fria (fluorescente). Por vezes o sensor tende a capturar imagens super saturadas, fazendo com que tenhamos a impressão de que as cores são extremamente vivas, o que deixa a imagem com uma impressão de falsa.

Moto G4 – Bateria

No passado, a Motorola se manteve conservadora em relação à bateria do sua linha de intermediários. Neste ano, sob a direção da Lenovo, tivemos um acréscimo de 570 mAh na capacidade da bateria da série. Assim, o novo modelo possui 3.000 mAh e é compatível com o sistema de carregamento turbo da Qualcomm.

Contudo, a fabricante não envia o carregador compatível com a tecnologia no kit da aparelho. Assim, apenas com um carregador de 10W o Moto G4 achegará a 100% da sua energia em cerca de uma hora. O que é bem rápido para um mid-range.

moto-g4-bateria-w782

Moto G4 – Especificações Técnicas

    • TIPO:
    • Smartphone
    • MODELO:
    • Ainda não disponível.
    • FABRICANTE:
    • Lenovo
    • DIMENSÕES:
    • 153 x 76,6 x 9,8 mm
    • PESO:
    • 155 g
    • TAMANHO DA BATERIA:
    • 3000 mAh
    • TAMANHO DA TELA:
    • 5,5 polegadas
    • TECNOLOGIA DA TELA:
    • Ainda não disponível.
    • TELA:
    • 1920 x 1080 pixels (401 ppi)
    • CÂMERA FRONTAL
    • 5 megapixels
    • CÂMERA TRASEIRA
    • 13 megapixels
    • FLASH:
    • LED
    • VERSÃO DO ANDROID:
    • 6.0.1 – Marshmallow
    • RAM:
    • 2 GB
    • MEMÓRIA INTERNA:
    • 16 GB
    • MEMÓRIA REMOVÍVEL:
    • microSD
    • CHIPSET:
    • Qualcomm Snapdragon 617
    • NÚMERO DE NÚCLEOS:
    • 8
    • VELOCIDADE MÁX.
    • 1,5 GHz
    • CONECTIVIDADE
    • HSPA, LTE, Dual-SIM , Bluetooth 4.2

Veredito Final

Sem dúvidas a Motorola, sob a tutela da Lenovo, mostra com o lançamento da quarta geração do Moto G que a série ainda tem muito para nos surpreender. O design do novo dispositivo deixa um pouco a desejar, mas o conjunto do hardware somado ao software está dentro de tudo aquilo que muitos usuários desejam em um smartphone: excelente performance.

No início deste review comparo a filosofia do Google em relação a popularização dos dispositivos Android com o linha intermediária da Motorola. No Brasil, com exceção do Nexus 5, ter um smartphone com hardware de qualidade e uma experiência com software puro só pode ser feita pelas mãos da Motorola. Isso é fato. O usuário que optar por este celular terá uma grande experiência com o Android e, no final das contas, é isso que importará.

O Moto G 2016 é a real evolução da série, é esperado há pelo menos dois anos e agora a fabricante terá a chance de atingir o mesmo sucesso que teve com o lançamento do primeiro modelo. O valor cobrado pelo aparelho será muito bem pago a longo prazo. Quem optar por ter o modelo clássico da linha contará com pelo menos mais duas versões do SO, poderá usufruir das novidades do Android sem ter que esperar por meses para estar entre as pessoas que conseguirão aproveitar um software com mais qualidade, funções e segurança.

Mais do que isso, a empresa conseguiu manter a alma da sua linha de smartphones, que é um software sem tantas características de fabricante, como temos na linha Vibe da Lenovo. Isso traz uma sensação de alívio para os que estavam esperando ver como se desenrolaria a nova diretriz de gerenciamento da empresa sob o guarda-chuvas de uma das maiores empresas de eletrônicos da China.

Se você optar por comprar o Moto G4 tenha a certeza de que terá o melhor do Android no seu smartphone!

Por fim, este novo modelo está pronto para enfrentar os concorrentes que ainda serão lançados no decorrer deste ano, e também responde à altura aos seus atuais rivais, como o Zenfone Selfie, o Vibe K5 e o Galaxy S5 New Edition. A Lenovo conseguiu reunir em um único aparelho as melhores características do Moto G Edição Turbo e do Moto X Play.

Texto Original encontrado aqui no AndroidPit